quarta-feira

Dia 8 = Léon - Rabanal del Camino

Dia: 26/04/07
Distancia Percorrida: 83,53 Km
Tempo de Pedal: 6h 09m 40s
Tempo total do dia: 8h 47m
Velocidade maxima: 46,5 km/h
Velocidade Media: 17,6 km/h
Km totais percorridos: 588,80 Km
Mais fotos deste dia: Aqui.
ou
Aqui.

Meus queridos amigos, mais uma vez agradeço-vos pelos comentarios.
Ontem tive um fim de dia maravilhoso, e agora agradeço a Ele!

Apesar da chuva que caía sobre a cidade de Leon, assim que a Katia chegou ao albergue, instalou-se e tratamos de sair para passear pelas principais "calles" (ruas) da cidade. Nós e nossos "ponchos" impermeaveis, que são parte fundamental do vestuario de todo peregrino. É leve, não ocupa muito espaço e existem em várias cores, sendo a nossa identidade visual.

A Catedral de Leon é magnífica!! Depois, bebemos uns cafés, visitamos uma exposição, artes e histórias, muitas histórias,,,
"No saber lo que ha sucedido antes de nosotros es como ser incesantemente niños." (Cicerón)
Combinamos de nos encontrarmos no albergue brasileiro, na cidade de Vega de Valcarce, daqui a dois dias. Como ela faz parte do percurso de onibus, nossos encontros são por vezes possíveis e muito engraçados.

Deixei o albergue municipal de Leon as 07:20h e rumo a mais um dia da minha jornada à cidade de Santiago. Mais uma volta de bike, bem cedo. Adoro fazer isto, pois permite-me pedalar, observar a paisagem, e tirar fotos com mais sossego. Depois, é pedal na estrada.

Por volta das 12:ooh, parei em Astorga. Clicando os detalhes da beleza de sua catedral, uma peregrina pergunta-me se a mesma estava aberta. "Creo que nó", respondo; e, depois de trocarmos algumas poucas palavras, perguntei-lhe se era brasileira. "Sou. rsrsrs". Rimos um bocado, pois finalmente ambos escutaríamos o "nosso" português,,,
Mariana Meyer, 26 anos, advogada em Curitiba.
Lembrei-me de ter lido um recado de uma brasileira; no meio de uma salada de línguas; que "Mariana, de Ctba" havia escrito no livro de registos do albergue de Estella.
Faz o caminho a pé, sozinha (mas também nunca solitária), e tem amigos em Portugal, bem próximo de onde eu moro.
Temos uma amiga em comum e, depois de tantas coincidências, fomos beber um café com leite e "tortillas", pra esquentar o estômago.
Aguardo a tua visita em Portugal Mariana! Buen camino!

O resto da tarde foi pedalando sozinho, embaixo de muita chuva e frio.
Parei em uma "Ferreteria", e comprei luvas de látex. Camisinha para as mãos, pois a luva da bike não é impermeável.
Nesta altura, o saco plástico que protegia meus pés não mais os protegia da água. Assim, vi-me subindo uns montes a cerca de 1.000m de altitude, completamente encharcado.
Alterei meus planos, pois imaginei o quanto de frio iria ter que suportar para descê-la a
4o km/h,,,

Fiquei em Rabanal del Camino, no pico da montanha. Um albergue fantástico, N. S. do Pilar.
Tratei logo de um banho bem quente, e roupa seca. Mais café com leite e um "bocadillo de jamón" (sanduiche de "presunto de parma", para os brasucas; ou de presunto, para os tugas) enquanto esperasse pelo jantar. Hoje não quero sair debaixo do saco de dormir.
Faz muito frio aqui em cima, e ainda bem que existe calefação nos quartos.
Fui dormir cedo, sem mesmo ouvir os roncadores,,,

2 comentários:

Lelyara Carlota disse...

Caracas, Glaiquera...que d+ !!!!!!!
Altas fotenhos, hein !
Tú é mutho doido mesmo, parabéns pela coragem e pela determinação.
Grande abraço
Leka.

BETAGALEGO disse...

Nossa adorei as fotos e comentários sobre os lugares onde vocês passaram. Amei de verdade, tudo muito lindo e essa neblina rsrsr nem se fala. beijosss.